Login Área Pessoal
Ainda Não tem conta
Criar Conta

PluriBlog

CORRE UM RIO DE LARGURA ENTRE NÓS

rio

Corre um rio de largura entre nós,
advento de um ousado mar,
ancorado no vento,                                aquele onde cabe todo o vento

Quieto o vento,
ficamos a sós,
apertando os nós
que de nós são nós.

Param as mãos
num outro lugar,
grito                                                             grito tendenciosamente,
vento, onde cabe todo o vento                        tarda, tanto, tanto a chegar.

Partilhar

Comentários (8)

  • Ana Valente

    Os anjos sao como o vento, sempre presentes, porem fugazes e muitas vezes tardam a chegar.

    Colocado a 24 Fevereiro, 2015 às 19:16 | Permalink
  • Cristina Gomes

    Não gostei muito, pois poema não rimava muito……

    Colocado a 24 Fevereiro, 2015 às 20:09 | Permalink
  • Bruno Abreu

    Legal!!!!

    Colocado a 24 Fevereiro, 2015 às 22:37 | Permalink
  • Roxana Cunha

    Amei…

    Colocado a 26 Fevereiro, 2015 às 21:35 | Permalink
  • natalia otto

    LINDO☺

    Colocado a 3 Março, 2015 às 13:58 | Permalink
  • Madalena Pinto

    A poesia faz-nos sonhar e em qualquer área e lugar!

    Colocado a 4 Março, 2015 às 13:57 | Permalink
  • Susana Lourenço

    Gostei muito !
    O poema me encantou 🙂

    Colocado a 4 Março, 2015 às 14:15 | Permalink
  • Carla Rodrigues

    tudo de bom!

    Colocado a 4 Março, 2015 às 15:33 | Permalink

Deixa um comentário

O teu e-mail nunca é mostrado. Campos necessários marcados com *

*
*
mask